Fardo e Potencial

Uma relação diretamente proporcional

wire-196361_1920

Imagem: Pixabay

 

Já disse antes, diversas vezes, e repetirei, sempre:

“O Criador não atribui a um filho seu, missão para a qual não esteja apto ao êxito.”

Isso é um fato, pois Deus é infinitamente bom e justo. Não penalizaria um filho com fardo que não fosse possível carregar.

Quando penso em desanimar frente à tarefa, ao incômodo e dificuldade que ela representa, reverto o pensamento e olho na direção oposta:

“Se meu Pai, infinitamente bom e justo, deu-me essa tarefa, isso denota e indica meu potencial de luta, resistência e produção.”

Isso assimilado, de uma vez por todas, tão mais complicada e difícil situação que se me apresenta, tão mais confiante me sinto. “Se está diante de mim, é porque já reuni condições de encarar e resolver tal questão.”, concluo.

Ao invés de desanimar ou fugir, encaro confiante.

A compreensão disso, por si só, é mais que mero consolo: é manancial de força, de gana e aponta meu nariz (jamais o queixo) no horizonte…

E pró-sigo.