Felicidade

Aonde reside a Felicidade

Foto: Gerald Waller

A felicidade reside nas pequenas coisas. Nos detalhes do cotidiano, que é o “recheio” da vida.

Se esse recheio for pontilhado pequenos detalhes agradáveis, pequenas coisas que alegram, você é pessoa feliz, isto é
certo.

A felicidade das grandes conquistas reside justamente nas privações e em cada degrau superado da trajetória. Na luta e no esforço realizado. Mais especificamente nas recordações da batalha, eprincipalmente no aprendizado oriundo desta peleia.

É a assimilação e a fixação dessas memórias que nos modifica e nos transforma.

Aí então reside a experiência, a matéria-prima da sabedoria.

Quando se atinge a grande meta, conquista-se o objetivo, conquista-se de a carreto grande “vazio”.

Reflexão sugerida:

A imagem acima, é de menino austríaco órfão, ao fim Segunda Guerra Mundial acabara de ganhar um par de sapatos novos
(observe o estado dos antigos).

Olhe a sua volta, observe tudo que você possui.

E aí?

Há motivo pra tristeza?

Te falta realmente alguma coisa?

A Riqueza

A Riqueza.

“Cada quar no seu degrar, não há porque revortar”.

Pessoa inescrupulosa, que acumula divisas e enche as burras às custas de toda sorte de trambique e corrupção, acredita que por estar fazendo fortuna, multiplicando patrimônio, tenha se tornado uma “pessoa rica”.

Eu digo uma coisa: rico é quem acumula conhecimento útil e o transmite; é aquele que é útil à comunidade; rico é quem consegue ir dormir todos os dias um pouco melhor do que acordou; rico é o cidadão consciente de sua obrigação e função na sociedade. Enfim, rico é aquele que faz o que é certo porque sabe que é certo, mesmo que seja o único a a fazê-lo. Rico é quem não se envergonha de ser o que é, é quem reconhece seus erros e muda de opinião.

Riqueza nada tem a ver com grana.

Riqueza está diretamente relacionada ao caráter, à conduta e aos valores nos quais pautamos nossas escolhas e ações.

Até a Uva…

Todos já passaram por situação difícil. Decepção, angústia ou dor profunda. Isso faz parte da vida e “molda”  nosso caráter, “fixa” lições.

Sendo assim, a dor é inevitável e essencial ao crescimento e ao amadurecimento.

É preciso ter em mente que digerir uma dor nada tem a ver com lamuriar-se, autoflagelar-se ou vitimizar-se. Nada disso.
Esses comportamentos devem ser banidos do nosso proceder.

Aqui, o fundamental é a consciência de que tudo que vivemos, tudo por que passamos, faz parte do aprendizado
e tem uma razão de ser/existir/acontecer.

Nada acontece sem um finalidade ou causa, isto é: nada acontece por acaso.

Às vezes a situação vivida parece-nos ingrata. Muitos põem em dúvida a existência de Deus. Não contesto nem julgo,
também não cabe a mim fazer aqui pregação.

Vou deixar apenas uma frase de um homem iluminado que passou por aqui há pouco tempo e fez um lindo trabalho:

“Isso também passará” (Chico Xavier)

O Passado é Precioso, Mas é Passado

O passado é precioso. Lá vivemos a experiência que nos ensinou, encantou e fez crescer.

É importante recordá-lo e observá-lo, para não reincidir nos velhos erros e esquecer o que aprendemos.

Esteja aberto à novidade, é daí que vêm novas experiências, novas lições, alternativas, amores e oportunidades de crescimento.

Tentar reviver o que já passou é só uma forma de protelar um sofrimento, criar expectativa numa coisa que não vai voltar, é certeza de decepção e angústia.

Permita-se à novidade, ouse experimentar!

O Querer

O Querer

 

E X A T A M E N T E !

Essa dor desperta na pessoa o “querer”.

Querer: força divina presente em todo ser humano que  permite a ele transformar-se, mudar a própria natureza,  curar-se.

Querer é poder.

Quem quer, faz!

Os dicionários definem “querer” e “desejo” como sinônimos. Discordo. Entendo que sejam coisas distintas. Esta é a
definição de “querer” que proponho.