L E V E Z A – Natal 2014

Dedico este trabalho à minha família, meus amigos, pessoas amadas cuja presença em minha vida é motivo de honra e gratidão. À todas as crianças da Terra, desde aquelas bem próximas até as que se encontram nos mais longínquos recantos deste mundão.

Deixo agradecimento especial a Geraldo Espíndola que gentilmente autorizou a fusão de sua música ao meu trabalho.

Obrigado, Geraldo!

Teorias do Amor

Amor.

Tema recorrente em meus textos ultimamente, graças a Deus. Pois sempre se fala daquilo que o coração está cheio, sempre.

Ouço algumas pessoas falando de amor aqui e ali.

Sou capaz de, estando em um ambiente cheio de gente conversando ao mesmo tempo, separar e distinguir a conversa de cada grupo, os dizeres de cada participante, sem misturar as conversas,e fazer isso sem me dispersar da conversa que levo com meu grupo.

É como se eu funcionasse como uma mesa de som, daquelas que vemos nos shows, ou em gravações de áudio e que têm uma infinidade de botões, nas quais cada microfone tem seu canal distinto e o operador dá o tratamento de volume, graves, médios e agudos, além de toda sorte de efeitos para cada canal… já estou fugindo do meu tema, viajei.

O que quero dizer é que ouço as pessoas falarem de amor coisas do tipo: “você não merece meu amor”, pior ainda: “ele(a) não merece seu(meu) amor”, ou ainda “eu te amo e você não é capaz de retribuir meu amor, não é capaz de me amar”.

Gente, amor não é gratificação ou recompensa, promoção ou aumento de salário para se “merecer”, muito
menos “retribuir”.

Também não há de se falar em “capacidade” de amar, afinal ou se ama ou não se ama alguém. É como cobrar afinidade ou “capacidade” de ter afinidade. Absurdo, completa falta de compreensão do que se trata o sentimento ou a coisa em si.

Este texto tem duas funções: a primeira, como sempre, é plantar a semente da reflexão, pra que as pessoas matutem um pouco sobre “essa coisa de amor”. Algumas delas têm uma visão, equivocada do que se trata.

A Segunda e mais importante é que este texto é uma convocação, uma solicitação, um pedido de auxílio, dirigido às pessoas que têm formação em pedagogia, as que têm conhecimento dos trâmites a serem cumpridos coloquemos proposta de nova matéria na grade curricular no ensino brasileiro:

“Teorias do Amor Aplicadas na Vida Cotidiana”. Ou, “Teorias do Amor”, simplesmente.

Essa matéria terá objetivo transmitir, em sala de aula, o tratamento correto a dispensar ao semelhante em todos os âmbitos da vida: familiar, escolar, afetivo, social, profissional, etc. Além do verdadeiro significado do termo, noções da teoria aplicada no cotidiano e sua relevância.

A abrangência e a profundidade dos ensinamentos e dos temas, exemplos abordados serão compatíveis com a idade dos alunos em questão.

Sem mitos, sem floreios nem frufrus.

Que tal?

Alguém se habilita?

Críticas? Sugestões?

Boa noite gente ama de verdade!

Saia da Rotina

A rotina tira da vida da gente o brilho, surpresas boas, encontros maravilhosos e ainda nos contamina com o tédio e o desânimo.

Conforme nos acostumamos a ela, a cada dia ficamos mais inativos, desinteressados, o que é pior, não percebemos que a vida pode ser muito interessante, intensa, prazerosa e dinâmica.

Saia da rotina às vezes.

Surpreenda, leve um presente, mesmo não sendo aniversário, afinal, todo dia é um dia especial.

Use da criatividade pra fazer da sua vida um roteiro interessante, instigante e gostoso de cumprir.

Todos nós já temos obrigações, rotinas, regras, critérios, normas que não podem ser alterados e que devem ser seguidos no âmbito profissional.

Que tal permitir-se uma vida aberta à chegada de pessoas novas, programas inusitados?

Ter disposição e interesse em conhecer sabores exóticos, novos aromas, ritmos, cores, formas, texturas e culturas.

Experimente.

Faça diferente.

Saia da rotina.

Permita-se.

Bom dia, gente que não teme o novo.

Ants Marching
(Dave Matthews Band)

Ele levanta de manhã

Escova seus dentes, come alguma coisa e já está pronto

Ele nunca muda coisa alguma

A semana termina, a semana começa

Ela pensa: nós nos olhamos

Tentanto adivinhar o que o outro está pensando

Mas nunca falamos nada

Esses crimes entre nós ficam cada vez mais profundos

Pegue essas chances

Coloque-as numa caixa até chegar um tempo mais tranqüilo

As luzes de apagam, você se levanta e morre

Vai visitar sua mãe

Ela o alimenta bem, seus problemas

Ele esquece

E se lembra de ser pequeno

Brincando sob a mesa e sonhando

Pegue essas chances

Coloque-as numa caixa até chegar um tempo mais tranqüilo

As luzes de apagam, você se levanta e morre

Dirigindo pela estrada

Esse monte de carros e na calçada

Pessoas em todas as direções

Nenhuma palavra trocada, sem tempo para trocar

Ohhh…

E todas as formiguinhas estão marchando

Antenas vermelhas e pretas balançando

Todas fazem o mesmo

Todas fazem isso do mesmo jeito

Homem doce provocando os pensamentos de um

Guloso torturado pelos programas de perda de peso

Cortar os cantos

Ponta solta, ponta solta, corte, corte

Em cima do muro, não poderia ofender

Cortar, cortar, cortar, cortar

Pegue essas chances

Coloque-as numa caixa até chegar um tempo mais tranquilo

As luzes se apagam, você se levanta e morre

Avua, Manoel! Borboleta… Borboleta, Manoel!

 

 

 

 

Manoel Não Morreu
Imagem: autoria desconhecida

 

Manoel não morreu.

Manoel, a vida toda acessível, agora está mais… restrito.

Continua à disposição, sempre, daqueles que são capazes de senti-lo no aroma das cores, no ruído dos  sabores, na temperatura de cada sentimento humano.

Caminha de mãos dadas com Manoel (lá ou cá), todo aquele que percebe no limite combustível da pirraça.  No impossível uma dança, uma valsa… que encanta, que ultrapassa, atravessa… e nem vê!

Manoel deixou obra e exemplo.

Ensinou como é que faz o que “não pode”, como é que pode o que “ninguém faz”.

Orgulho meu é te entender e compreender sua língua. Ter vivido no seu tempo, ter olhado seus olhinhos.

Há janelas diante de mim, uma delas, você abriu.

Manoel, obrigado!

Amar Gente Legal é Fácil

Amar gente legal é fácil.

A gente tá aqui pra amar aquelas pessoas difíceis, complicadas e que nos testam o tempo todo.

Você acredita mesmo que está na Terra pra fazer coisas fáceis??

Tá não, bichão!

Principalmente aquelas que estão bem próximas de nós. Ééé..

Pense um pouco.

Você não faz provas de matérias de “séries” que já deixou pra trás. Matéria da qual já “passou de ano,
não é?

Pois bem, aquelas pessoas que nos testam são nossas provas do ano letivo atual. As pessoas agradáveis e  amáveis são lições passadas.

O séc. XXI é o século do amor.

Você pode resistir.

Você pode negar.

Mas não há como fugir da evolução natural da espécie humana. Se não compreende ou não concorda com isto  ainda, é muito provável que alguma ocorrência, fato, ato ou pessoa lhe convença disso um dia, aí verás
este texto com outros olhos.

Ame.

Simplesmente se esforce pra isso.

E é possível amar à distância, acredite.