Portal

Binóculo médium

Fotografia: Giselle Brun

 

No vasto universo
Suspenso no nada
Rodopia um filamento
De lúmens bilhões

Tal qual constelação
Via Láctea chamada
Morada do homem
Luzente paragem

O Povo da Terra
Busca no firmamento
A luz que lhes falta
O calor que conforta

Respostas lá fora
Preenchem os vazios da alma
Como fora portal
O corpo humano

Grosseiro e pesado
É prisma da inteligência sutil
Que chamam de “self”
De “eu interior”

O corpo é portal
Tal qual buraco negro
Unindo dimensões distintas
Escafandro limitado
No fluido universal